domingo, 28 de fevereiro de 2010

1972 - O Poderoso Chefão

As marcas deixadas por "O Poderoso Chefão", de 1972, são inegáveis e perceptíveis até os dias de hoje. Quase trinta e oito anos após seu lançamento, este filme continua sendo uma insofismável referência para cineastas, roteiristas, atores e, obviamente, compositores de trilhas sonoras destinadas ao cinema.

Com plena certeza, quando Mario Puzo foi contratado pela Paramount em final da década de 60, jamais poderia imaginar que seu romance intitulado "The Godfather", de 1969, poderia ser relembrado por toda história como uma das melhores adptações literárias para o cinema.

Obviamente um série de fatores contribuiram para que "O Poderoso Chefão" se tornasse o legado que é. Além do brilhantismo de Puzo, não se pode duvidar do eminente gênio criativo do diretor Francis Ford Coppola e da lista de excelentes atores que integram o elenco do filme, como Al Pacino, Marlon Brando, Talia Shire (que futuramente ingressaria na sequência quintupla de Rocky), James Caan e Robert Duvall. O filme, além de suspense dramático vigoroso, dotado de uma fotografia única, é também um retrato da história norte-americana, no que versa sobre a imigração italiana, melhor observada no segundo filme da trilogia em pauta

Aliado à estes fatores, a trilha sonora do filme também possui sua parcela de responsabilidade por fazer de "O Poderoso Chefão" uma obra-prima do cinema e um incontestável fenômeno cultural.

Comandado por Nino Rota, (compositor italiano que veio a falecer em 1979, cinco anos após o lançamento do segundo filme da série, responsável também por trilhas de filmes de Federico Fellini), os trabalhos de manufatura da trilha resultaram no melhor jazz mafioso que se pode esperar, pintura indubitável da movimentação deste estilo musical nos anos 40 e 50, época na qual o filme faz referência.

Exemplo disto é "The Godfather Waltz", encadeamento melódico que se tornou tema da película. As demais canções, além de retratar as cenas que se desenvolvem no filme assumem uma certa autonomia, diante do brilhantismo de sua composição. É o caso de "The Halls of Fear", música que acompanha Michael Corleone e o padeiro Enzo na tentativa de proteger Don Vito no hospital onde está internado, após sofrer um atentado.

Além das referências ao jazz, observa-se também a óbvia conexão com a música siciliana, representada pelos lamuriosos reclames de violão e banjo em "Appolonia" e "The Godfather (Love Theme)".

"I Have But One Heart (O Marenariello)" é outro exemplo da fusão do jazz, verbalizado parte em inglês, parte em italiano, que consegue tratar do tema "paixão" de modo singular. Trompetes e flautas, que em certo momento lembram "Kind of Blue" de Miles Davis e aparecem presentes em todas as faixas do álbum, abrilhantam ainda mais sua composição.

Assim, "O Poderoso Chefão" e sua trilha sonora transformaram-se em parâmetro não apenas para o cinema, mas para a música e cultura como um todo. Não é por menos que musicos como Slash, por exemplo, executam "The Godfather Waltz" em suas apresentações, misturando o jazz com outras desinências musicais.

Ao ouvir este disco, estaremos assistindo de olhos fechados o filme, tamanha é a fidelidade da trilha, montada na sequência mesma da película. Trata-se, pois, de uma obra de arte: não há outra adjetivação capaz de melhor definir este filme e sua trilha.

Cheers!!!

Faixas:

1. The Godfather Waltz
2. I Have But One Heart (O Marenariello)
3. The Pickup
4. Connie's Wedding
5. The Halls of Fear
6. Sicilian Pastorale
7. The Godfather (Love Theme)
8. The Godfather Waltz Reprise
9. Appolonia
10. The New Godfather
11. The Baptism
12. The Godfather Finale

CLIQUE NA IMAGEM P/ FAZER O DOWNLOAD:

Nenhum comentário:

Postar um comentário