sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

2010 - Song Premiere do álbum "Slash"

Este ano promete ser generoso para a música, em especial para o Hard Rock.
Desde meados de 2008 circulavam boatos de que Slash estava iniciando o processo de composição de um novo disco. Passado algum tempo, os boatos se confirmaram e, em 2010, o álbum simplesmente cunhado como "Slash" entrará em circulação.

Trata-se, pois, de um ábum heterogêneo, onde, a cada canção, uma voz diferente assume a função de verbalizar a já conhecida fúria do "Sr. Cartola". Contudo, para nossa sorte, talvez este não seja o único atrativo.

Em 16 de fevereiro último, um blog francês publicou uma responsável resenha sobre o disco, fruto de uma audição exclusiva do álbum. Nela, nomes como Alice Cooper, Iggy Pop, Lemmy, Ozzy, Chris Cornell, Dave Grohl, Izzy Stradlin e Kid Rock aparecem na lista daqueles que acompanham Slash em tal projeto, que há muito é aguardado não apenas por aqueles que apreciam a sua figura, mas também pelos que admiram o Hard Rock, em especial.

Até o momento, apenas uma versão de"Paradise City" (que integrará o álbum como faixa-bônus), gravada com Fergie e Cypress Hill havia sido disponibilizada e recebida com certo desgosto por parte da critica e dos fãs. Mas hoje, o Rock Pensante traz com exclusividade um link de audição da faixa que é considerada pelos sortudos críticos que já ouviram o disco como a que se destaca das demais.

Trata-se de "By the Sword", cujos vocais são comandados por Andrew Stockdale, vocalista do Wolfmother. A canção bebe na fonte de Led Zeppelin e UFO para demonstrar toda a sua qualidade, de rara percepção. Com um início acústico imponente, a canção vai se desenvolvendo lentamente, passo a passo, agregando a cada 10 segundos a inclusão de outros instrumentos ao violão, até tornar-se um muro sólido representado por um riff surpreedentemente marcante.

A voz de Andrew cavalga no mesmo compasso da introdução acústica, assemelhando-se ao working blues entoado pelos negros escravos nas plantações de algodão próximas ao delta do Mississipi.

Após a transição da intro acústica para o potente riff distorcido, a canção abranda-se novamente para receber o singular solo de Slash, que, de modo gradual, inicia uma evolução que reconduz a canção à explosão sonora que lhe arremata. Ao terminarmos de ouví-la, sentimos aquela satisfação insofismável de viajar por um mundo que já conhecemos e que nos faz bem: o mundo do rock n roll, que alterna sua composição para entregar-nos as melhores sensações possíveis.

O mais impressionante é que, por esta música, podemos ter a certeza que o álbum, como um todo, nos proporcionará um deleite ainda maior. Se com Stockdale o resultado já se demonstrou fantástico, imagine o que podemos esperar das canções acompanhadas por Mr. Madman, Lemmy Kilmister e cia.

Os mais teimosos, ao ouvir o disco por inteiro, tentarão compará-lo com "Appetite for Destruction" ou com "It`s Five o`Clock Somewhere", primeiro álbum de Slash Snakepit. Mas, por certo, perderão seu tempo.

O álbum "Slash", com toda a certeza, não foi concebido para servir como parâmetro de crítica, ou para competir com outros discos já existentes. Ele é, de fato, uma celebração, que devemos aproveitar até o último instante.

Aguardaremos, pois, o lançamento deste que já é considerado como um grande disco do Hard Rock. Por ora, nos contentaremos com "By the Sword" cujo link segue na imagem abaixo, imperdível cortesia da Spinner.

Faixas:

1. Ghost (c/ Ian Astbury e Izzy Stradlin)
2. Crucify the Dead (c/ Ozzy Osbourne)
3. Beautiful Dangerous (c/ Fergie)
4. Promised (c/ Chris Cornell)
5. By the Sword (c/ Andrew Stockdale)
6. Gotten (c/ Adam Levine)
7. Doctor Alibi (c/ Lemmy Kilmister)
8. Watch This Dave (c/ Dave Grohl e Duff Mckagan)
9. I Hold One (c/ Kid Rock)
11. Starlight (c/ Myles Kennedy)
12. Saint Has Sinner Too (c/ Rocco De Luca)
13. We're All Gonna Die (c/ Iggy Pop)

Faixas Bônus:

14. Baby Can't Drive (c/ Alice Cooper e Nicole Scherzinger)
15. Paradise City (c/ Fergie e Cypress Hill)


Cheers!!!

CLIQUE NA CAPA DO DISCO PARA OUVIR "BY THE SWORD"

3 comentários:

  1. É com certeza esse disco vai ser foda. Podia ficar aqui falando procurando palavras pra definir essa "bagaça" mas o fato é que foda ja resume tudo. Quanto a Fergie po, a negada ta mais é sendo injusta por conta do som que ela faz no black eyed peas, porque a mulher tem uma voz impressionante e pode sim facil facil conseguir arrepiar até o roqueiro ou metaleiro mais xiita!!! agora vocalistas como myles kennedy, adam levine e rocco de luca devem ser levados a sério porque podem não ser famosos como os outros, mas sabem destruir quando tão atrás de um microfone!!!só escutar o trabalho deles com suas respectivas bandas, tirando o rocco q se não me engano é artista solo!!! o fato é que esse disco pode vir a deixar o Sr. Rose mais bronqueado ainda com o o Sr. Cartola. Por que? Bom teria 1 milhão de motivos, mas o melhor é "o fiasco que foi Chinese Democracy"!!! é como disse pro meu brother autor do artigo... vo esperar e possivelmente compre duas cópias desse disco, uma pra ouvir até furar e a outra pra deixar lacradinha pra filhos e netos, e bisnetos ouvirem no futuro!! srrssrrs

    ResponderExcluir
  2. É verdade. O disco, de fato, vai entrar para a história!

    ResponderExcluir