quarta-feira, 17 de março de 2010

1995 - It's Five O'Clock Somewhere

Após a extensa turnê de Use Your Illusion, o Guns n' Roses poderia ser qualquer coisa, menos uma banda unida. Extenuados com a convivência entre si e desgastados com outras querelas mais, o grupo que melhor representou o hard rock se desmantelava a cada segundo que passava. Axl demonstrava os sinais de seu insulamento convulsivo, que repelia qualquer tipo de aproximação de quem quer que fosse, e o resultado evidenciou-se mais do que rapidamente: em pouco tempo, todos os membros estavam se distanciando drasticamente.

Após as tentativas infrutíferas de "renascimento" com "The Spaghetti Incident?" e a regravação de "Simpathy for The Devil" dos Stones, o G n' R passou a conversar apenas através de seus agentes. Em 1994, a banda ruiu definitivamente.

Foi nesse ambiente e nessa ocasião que Slash, Matt Sorum e Gilby Clark reuniram-se com o baixista Mike Inez e com o vocalista Eric Dover para dar sequência à uma série de bases de canções que Slash havia escrito (e que haviam sido desprezadas por Axl), que acabaram por representar o primeiro disco do Snake Pit, que ora vem à tona no Rock Pensante.

E, faticamente, diversas faixas lembram muito os últimos suspiros de criatividade do G n' R. Canções como "Neither Can I", "Dime Store Rock" e "Beggars & Hangers On" (que, inclusive, abrem em sequência cronológica o disco) poderiam muito bem aparecer em ambos os "Illusions". São excelentes músicas, em destaque para a primeira e a terceira. Muitos críticos quando analisam este registro, procuram nas letras possíveis alfinetadas de Slash em Axl. Em verdade, tal reflexão é pouco proveitosa: se encararmos as letras de "It's Five O'Clock Somewhere" como honestas manifestações do hard rock, as resultantes serão muito mais aprazíveis.

Ademais, o álbum reserva boas surpresas, como a densa "I Hate Everybody (But You)" e a dançante "Be The Ball", que, se constantemente observadas como "ataques" de Slash, acabam por perder seu sentido. O bom mesmo é ouvir o disco de modo apartado à problemática havida entre as duas figuras emblemáticas do G n' R, que, aliás, havia só começado.

Muito embora o disco seguinte do Snake Pit, "Ain't Life Grand", de 2000, seja dotado de uma musicalidade muito mais interessante, "It's Five O'Clock Somewhere" possibilita ao ouvinte momentos memoráveis de diversão. Afinal, é o "Sr. Cartola" quem dita as regras e, cá entre nós, nada melhor do que isso.

Cheers!!!

Faixas:

1. Neither Can I
2. Dime Store Rock
3. Beggars & Hangers On
4. Good to Be Alive
5. What You Want to Be
6. Monkey Chow
7. Some City Ward
8. Jizz da Pit
9. Lower
10. Take it Away
11. Doin' Fine
12. Be The Ball
13. I Hate Everybody (But You)
14. Back and Forth Again


CLIQUE NA IMAGEM P/ FAZER O DOWNLOAD:




3 comentários:

  1. Slash Snakepit foi uma grande banda, é realmente uma pena que tenha durado tão pouco tempo, esse album na minha opinião tem como faixa CLIMAX a musica Beggars & Hangers On, porém foi durante a reformulação da banda no ano 2000 que foi lançado na minha humilde opinião o melhor trabalho da banda, o album Ain't Life Grand, com duas faixas FODAS chamadas Serial Killer e Back to The Moment!

    ResponderExcluir
  2. devo ter ouvido alguma coisa deste disco na epoca em q ele foi lançado, na MTV..

    hoje em dia não lembro mais dele..

    como o cd solo do slash é foda, to baixandso este pra comparar..

    ResponderExcluir
  3. Esse é o melhor album do snakepit, o segundo nem se compara. Good to be Alive, Doin' Fine, Neither Can I, Beggars & Hangers-on... é melhor do que qualquer coisa no ain't life grand.

    ResponderExcluir