quarta-feira, 21 de abril de 2010

2010 - Slash

Que Slash é uma das maiores referências da guitarra em termos de hard rock, isso ninguém discorda. Dotado de um modo único de se portar e de destrinchar sua imensa coleção de Gibson`s, o Sr. Cartola acaba de brindar os fãs com mais um presente: seu "primeiro"disco solo propriamente dito vem recheado de surpresas no mínimo agradáveis. Quase todas as canções denotam uma interessante construção musical e, somado a isto, o time de músicos que o acompanha (como Iggy Pop, Lemmy Kilmister, Ozzy Osbourne e Andrew Stockdale) abrilhanta ainda mais o trabalho.

Por certo, muita gente não gostou do disco. Mas quase todas estas críticas advém do convite de Slash para que diversas figuras, de vários seguimentos, tocassem com ele. Pelo fato de ter chamado figuras como Fergie e Adam Levine, do Maroon 5, Slash foi acusado por alguns de tentar se assemelhar ao Santana e sua extensa lista de partners constante em seus discos. Afora todo esse embate, "Slash", de 2010, pode ser chamado de qualquer coisa, menos de opaco ou simplesmente ruim.

O disco inicia seus misteres com "Ghost", verbalizada por Ian Astbury do The Cult. A faixa mostra a faceta técnica de Slash já em seus primeiros segundos, até estourar com uma alvancada abrupta de todos os instrumentos em conjunto. A canção seguinte, "Crucify the Dead", é a primeira jóia do disco. O solo inicial de guitarra se assemelha ao jazz seco de Pat Metheny em "Bright Size Life" e, ao exemplo da faixa precedente, se alicerça em uma muralha sonora no refrão. Como se isso não fosse suficiente, Mr. Madman acolcheta a atmosfera pesada da música com maestria: é como se estivessemos a ouvir o Sabbath em sua vertente mais hard rock.

Se a primeira jóia veio com Ozzy, o primeiro equívoco veio com Fergie. Não se trata de preconceito ou simples rotulação: apenas não há como negar que "Beautiful Dangerous" é a canção mais deslocada do disco, ainda que conte com elementos musicais interessante. A mistura com a levada despojada e usual de Slash com beat característico da música pop atual acabou por desabonar o resultado final da faixa. Mas essa primeira má impressão se esvai quando o riff inicial de "Back from Cali" começa a soar. A canção traz à tona a vivência eterna do verdadeiro espírito do rock n roll: forte, incisivo e sem muita frescura. A faixa, em seu refrão, permeado por uma construção de backing vocals interessantíssima faz o ouvinte mais desapercebido pensar que Axl Rose está a auxiliar Myles Kennedy no microfone.

Chris Cornell também dá o ar da graça em "Promise", que, para a decepção dos rabugentos de plantão, pouco se assemelha ao trabalho desenvolvido pelo cantor em sua passagem pelo Audioslave. "By The Sword", faixa seguinte, é uma das mais criativas. A introdução acústica prepara o terreno para a verdadeira explosão sonora comandada por Slash e Andrew Stockdale, líder do Wolfmother: garantia de hard rock da melhor qualidade.

"Gotten", balada que conta com Adam Levine, também merece, ao final das contas, aplausos. Não fosse o preconceito que ainda vagueia pela mente de muitos, esta canção poderia ser considerada como uma das melhores baladas feitas por Slash, desde seu tempo com Guns até o Velvet Revolver. Quando o último acorde de "Gotten" se encerra, o "heavy side" do disco se inicia com "Doctor Alibi", cantada pelo simpático e cordial Lemmy. A canção é literalmente uma pancada arquitetada nos melhores moldes do hard rock. "Watch This Dave" é a única faixa instrumental do disco. Igualmente pesada e muito bem contruída, a canção mostra, pelo primeiro momento, o lado mais pesado de Slash, ainda que uma das passagens intermediarias remetam o ouvinte à canção "Coma" do Guns. "Watch This Dave" conta com a participação de Dave Grohl na bateria e o velho Duff nas quatro cordas.

"Hold On", que conta com Kid Rock nos vocais, apesar de guardar uma certa peculiaridade, trafega na contra mão. É uma canção um tanto monótona e mal colocada entre as faixas mais pesadas e pulsantes do disco. A seguinte, "Nothing to Say" é um inesperado metal comandado por Slash e Mr. Shadows do Avenged Sevenfold. De tão fiel às raízes bangers, ninguém reclamaria se ela tivesse sido gravada, por exemplo, pelo Metallica.

Myles Kennedy retorna com "Starlight" que, mesmo melhor e mais criativa que "Hold On", acabou por ficar igualmente deslocada. A melancólica e inteligente "Saint is a Sinner Too" abrilhanta novamente o cenário. Introduzida de modo acústico, a voz de Rocco de Luca parece fugir de um recente pesadelo. A canção merece destaque pelos elementos de produção que a compõe e integram, como efeitos software que, mesmo sendo mecânicos, não esvairam a essência intrínsecamente humana da canção.

O disco é encerrado da melhor maneira possível. "We`re All Gonna Die" mostra, junto com um riff inspirador, toda a beleza isana de Iggy Pop, que brada alegremente: "We`re All Gonna Die/So Let`s Get High/We`re All Gonna Die/So Let`s Be Nice (Já que nós vamos morrer/Então vamos ficar malucos/Já que nós vamos morrer/Sejamos legais)". Esta é, certamente, a faixa mais vibrante do disco. Enfim, "Slash" mostra uma das figuras mais queridas do hard rock em uma das suas melhores performances e, ainda, muito bem acompanhado. Ainda que não agrade gregos e troianos, pode ser considerado como o melhor trabalho executado por Slash depois do Guns n Roses, bastando lembrar que, ainda sob esse nome, Sr. Rose não conseguiu fazer nada parecido em termos de qualidade com sua "Democracia Chinesa".

Antes de encerrarmos, um pequeno aviso. Diversos sítios já disponibilizaram este disco para download antes mesmo de seu lançamento. Mesmo sem querer transparecer hipocrisia, tivemos o cuidado de esperar esta obra ser oficialmente lançada e iniciar suas vendas para incluí-la em nosso material. Ainda que o leitor que eventualmente passe por aqui faça o download, cabe o conselho: ouça e compre o álbum. É um excelente disco e, ainda assim, estaremos contribuindo para a vinda deste ilustre cidadão às paragens tupiniquins.

Cheers!!!

Faixas:

1. Ghost
2. Crucify The Dead
3. Beautiful Dangerous
4. Back From Cali
5. Promise
6. By The Sword
7. Gotten
8. Doctor Alibi
9. Watch this Dave
10. Hold On
11. Nothing to Say
12. Starlight
13. Saint is a Sinner To
14. We`re All Gonna Die

CLIQUE NA IMAGEM P/ FAZER O DOWNLOAD:






Nenhum comentário:

Postar um comentário