quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Lançamento de novo EP - Trem Fantasma

Progresso. ("pro.gres.so" - sm. do latim 'progressu') 1. Marcha ou movimento para diante. 2. Curso, seguimento de uma ação de eventos, do tempo. 3. Adiantamento cultural gradativo da humanidade.


O ensinamento acima destacado decorre de um dos compêndios etimológicos (também conhecidos como "dicionários") mais utilizados em nosso país. E, de fato, o termo progresso alberga por completo os novos passos dados pelo Trem Fantasma, que impulsionam, também e por igual, nessa "marcha ou movimento para diante", o rock paranense. Esta é a fiel resultante da construção e consolidação do novo EP da banda, lançado oficialmente no último dia 04/09, em um objetivo show no Teatro Universitário Curitiba. E "progresso" cai muito bem para a nova roupagem da banda, colocada em prática com maior destaque após a chegada de Marcos Dank.

Isso se percebe não apenas pelas influências progressivas da banda, mais notáveis do que nunca, mas também pelo próprio desenvolvimento natural que som do Trem apresenta neste EP. Todas as canções, sem exceção, estão muito bem delineadas, como se a preocupação de Rayman, Leonardo, Yuri e Marcos em insculpí-las em nossas mentes tivesse aumentado de proporção. A faixa de abertura, "Oliver no Planeta do Sol", traz bem esta perspectiva: com uma letra muito bem escrita (que conta a fuga de Oliver, que poderia ser eu ou você, desse nosso mundo tão "real"), o Trem Fantasma apresenta ao ouvinte, no mímino, três retratos musicais diferentes, vistos na condução mais contida que abre a canção e pelos dois galopes mais fortes percebidos em seu desenvolvimento.


"Recaída" também aposta na novidade para fixar seu lugar. Com uma intro especial, a faixa caminha de mãos dadas com uma letra, à primeira vista pueril, para criar um momento de interessante reflexão, que se modifica após o primeiro refrão. A letra, antes pueril, toma um significado mais robusto e somos capazes de tirar tantas outras conclusões quanto forem possíveis sobre seu significado, sempre relevante, seja qual for o resultado final. Rayman trabalhou muito bem as linhas de baixo nesta faixa, que conduzem a construção melódica e harmônica com uma precisão cativante.



"Guerra Dentro da Gente" troca a atmosfera e o viés mais progressivo por uma sonoridade mais forte e direta, que vai baixando de cor e volume após o primeiro solo para adubar, com acerto, um terreno fértil para a criatividade das seis cordas de Leonardo Montegro e da bateria de Yuri Vasselai. Isso é nítido nas sobreposições de frases de guitarra presentes na canção e na força da atuação de Yuri, captada no melhor espírito hard rock com a utilização da gravação com os clássicos rolos da década de setenta. A inspiração deu certo: é impossível ouvir "Guerra Dentro da Gente" parado.

Adiante, mais uma faixa calcada em uma letra inteligente é apresentada: "Nenhuma Pretensão" brinca ao apresentar os dois lados da moeda de nossas preocupações cotidianas, como a "necessidade" de vencer na vida e o próprio temor e medo que temos de enfrentar para conseguir  atingir ou alcançar este "vencer". O diálogo entre os dois grupos de versos é intermediado por um refrão que se entrega honestamente. A musicalidade conduz, por igual, a criação de uma pintura curiosa, onde os solos remetem o ouvinte, vejam só, ao mundo de Tarantino: experimente ouvir "Nenhuma Pretensão" assistindo a dança de John Travolta e Uma Thurman em "Pulp Fiction"; é como se o som tivesse sido talhado para aquela imagem.

"Ao Vivo na Pompéia" encerra o novo EP do Trem Fantasma que a mesma seriedade vista em seu início: a introdução guiada pelo órgão é acrescida pela condução de Yuri e pela manifestação em slide de Leonardo Montegro, que acabam por engendrar a dupla homenagem ao Pink Floyd (em referência ao seu "Live at Pompeii") e também aos Mutantes, oriundos da Pompéia paulistana. Possivelmente, esta é a música mais trabalhada do EP, justamente por apresentar diversos elementos e influências, como o estilo vocal do Floyd e a alternância de ritmos comumente utilizada pelos Mutantes. É nesse ambiente criativo que a faixa trafega, comunicando-se com o ouvinte, desta vez, mais com a musicalidade do que com a própria soma da letra.

"Ao Vivo na Pompéia" também traz uma surpresa: a canção se "encerra" por volta de seus 5:10 minutos de duração, curiosamente com um acorde similar ao que abre "Oliver no Planeta do Sol". Como o ouvinte leva um certo tempo para "depurar" toda a atmosfera criada pela faixa, é normal que você, caso não tenha um controle remoto por perto (e estiver fazendo uso de um cd player convencional, claro), deixe-se inerte por uns 30 ou 40 segundos. Ao levantar para retirar o EP do aparelho, você será surpreendido vejam só,  pela própria canção, que regressa do mundo silente para invadir novamente o nosso espaço com o mesmo "momento" que finaliza "Oliver no Planeta do Sol".

Toda esta criatividade contribuí, e muito, para a sustentação deste novo "universo" proporcionado pelo Trem Fantasma. Presenciamos nitidamente um novo momento no caminhar dessa banda, e a trilha (ou "trilho") seguida(o) pelo Trem  parece ser densamente interessante. Gradativamente, estamos a perceber que o grupo cresce cada vez mais e, junto com eles e tantas outras bandas, cresce também o rock n' roll e a arte paranaenses. Rayman, Leonardo, Yuri, Marcos e todos aqueles que incetivaram e contribuíram para consolidação deste EP merecem todos os aplausos possíveis de serem ouvidos e objetivados.

Set List:

1. Oliver no Planeta do Sol
2. Recaída
3. Guerra Dentro da Gente
4. Nenhuma Pretensão
5. Ao Vivo na Pompéia

Para ouvir o novo EP do Trem Fantasma, basta clicar AQUI para acessar o Myspace da banda ou, então, basta clicar no banner contido no lado direito da tela.

3 comentários:

  1. O EP ta IN-CRÍ-VEL. Eles realmente estão de parabéns !

    ResponderExcluir
  2. agradeço MUITO todos que nos apoiam!!
    vocês fazem tudo valer a pena, afinal, é pra vocês que tentamos fazer nossa arte!
    grande abraço!!

    ResponderExcluir
  3. Agradecemos a todos que nos apoiam e principalmente aqueles que como o Rafael ouvem com apreço e atenção os nossos sons. Muito obrigado. Abraçoos

    ResponderExcluir