domingo, 30 de janeiro de 2011

Rock Pensante em 2011: Novo Conteúdo na Mesma Capa


Sim, é verdade: este deveria ter sido o primeiro post de 2011. Mas, por diversos fatores e razões (todos eles por demais sofríveis), somente hoje é que conseguimos ter certeza de que o Rock Pensante deve de fato continuar e manter sequência. 2010 fechou as portas sendo um ano produtivo para esse sítio virtual: acompanhamos de perto o crescimento da cena musical curitibana; proporcionamos uma série de resenhas sobre diversos discos e livros; convivemos com diversas bandas em shows e contribuímos, de certo modo, com a exposição do trabalho desses artistas que a cada dia "reinventam" a arte que se traduz pela música em nossa cidade.

Ao mesmo passo, também estamos cientes que, apesar de todos esses bons resultados, o jardim cultivado em 2010 não foi apenas constituído por flores. Muito do que aqui se expôs foi, em mais de uma ocasião, intepretado por viés equivocado, o que acabou por gerar dissabores e, com isso, engendrou a reflexão que culminou com a postagem que hoje se consolida. Aqui, não se vai reclamar; pelo contrário: sabemos que, em alguns momentos, o que aqui se fez não foi de todo certo. Mas, vá lá, compreensão não se faz em uma via apenas, exige e demanda que as duas pontas da linha tenham bom senso o suficiente para compreender as razões do que se está a expor por aqui.

Pois bem, da teoria, vamos à praxis para entender o que vai mudar e o que vai continuar por aqui. Para facilitar a compreensão e visualização, os temas serão divididos em tópicos para melhor organização. Vamos à eles:

1. Postagens/Resenhas sobre discos.

Boa parte do material que aqui se disponibiliza versa sobre itens mais raros e não  tão óbvios como se supõe. Na medida do possível, tentamos disponibilizar álbuns interessantes e que não se encontram a disposição  todo os dias. Junto à isso, faz-se a exposição de peças clássicas, através de discos que são unanimidade entre os amantes da música (e não apenas do rock, haja vista que aqui também se publica sobre jazz, blues, MPB, etc). Com o objetivo de trabalharmos e organizarmos as postagens através de prioridades, a partir de hoje o Rock Pensante se limitará a disponibilizar resenhas e material inerente a álbuns que fogem um pouco do mainstream. Com isso, o óbvio é retirado do palco para dar lugar às pérolas "cult" da música. Reforçamos que, apesar da nítida ligação com a desinência roqueira, não ficaremos adstritos à ela. Música boa, independente da sua formatação, terá espaço por aqui. Afinal, rótulo é coisa de garrafa.

2. Cobertura do trabalho de Bandas Independentes.

Esta sempre foi a razão de ser, sempre foi o leitmotiv do trabalho desempenhado pelo Rock Pensante, e será a maior prioridade do blog em 2011. Sempre que possível, acompanharemos as bandas em seus shows, confeccionaremos entrevistas e colocaremos em evidência o trabalho de cada grupo, com atenção especial às bandas curitibanas, por óbvio. Quem acompanha o RP, sabe que, das diversas bandas já listadas por aqui, três permanecem em "destaque contínuo", por assim dizer: trata-se do Pão de Hamburguer, Trem Fantasma e O Trilho. Recebemos dezenas (sem exagero) de e-mails bem "rudes" dizendo que o Rock Pensante "trabalha" para essas três bandas e fecha os olhos para as demais que contribuem incessantemente para o crescimento do cenário independente de nossa cidade. Por isso, cabe salientar que, se esses grupos são os que por aqui mais aparecem, é porque oferecem o mínimo de respeito e condições para que a cobertura de shows possa acontecer. Por diversas vezes, ao entrarmos em contato com bandas, seja em shows ou e-mails, somos recebidos por algo que nem de longe pode ser chamado de "cordialidade". Acompanhar uma banda, registrar apresentações com fotos, confeccionar resenhas, etc, se consubstancia em uma tarefa complicada, que se divide em etapas. Se a banda não contribui com isso, milagre algum pode ser feito. Fica, então, a dica: de nossa parte, continuaremos com o empenho necessário para trazer à tona o melhor que Curitiba tem a oferecer. Mas sem reciprocidade e respeito, trabalho nenhum pode ser realizado.

3. Veiculação de Notícias.

Algo que pouco investimos em 2010 foi na evidenciação de notícias sobre o meio musical e cultural em âmbito geral. Esse vai ser um novo desafio para nós: trazer à luz notas interessantes e, principalmente, úteis para que gosta de música e arte. Para tanto, recorreremos também à traduções de diversas fontes respeitáveis. Enfim, a ideia é estruturar o conteúdo do site de modo mais sério e contundente, para concretizá-lo de fato como ferramenta útil para quem busca informação e, em certa medida, uma carga maior de "conhecimento" sobre música e arte em geral.

4. Divulgação de bandas cover.

Um outro problema que tivemos em 2010 foi com a divulgação de bandas tributo. Houve quem nos chamasse de hipócrita por fazer bandas de som próprio dividir espaço com grupos cover; e vice-versa. Pois bem: sempre acreditamos que, de um modo ou de outro, o cenário curitibano tem espaço suficiente para comportar essas vertentes. Por certo que não concordamos que uma vertente prepondere sobre a outra, mas acreditamos não ser tão prejudicial ou ofensivo demonstrar, de tempo em tempo, o trabalho desempenhado por bandas tributo. Certamente, valor maior será dado àqueles que constroem sua arte; mas fechar os olhos para todo o resto parece-nos um exagero sem fundamento.

5. Projetos Externos.

Em 2011, o RP vai tentar (e, reitera-se: tentar) colocar em prática um projeto externo que visa, noite após noite, registrar um apanhado geral e atual sobre como e por quem é formada a cena musical curitibana. O trabalho consistiria em visitar o maior número possível de espaços que oferecem ao público shows com diversas bandas (sem nos limitarmos a uma só desinência musical), conhecendo um número maior de bandas e, principalmente, interagindo de modo fático e subjetivo com o público que frequenta cada lugar. Isto não resumiria à fotos e registro em palavras, mas também a captação em áudio/vídeo de shows, entrevistas, etc, para adiante formular-se em um único arquivo toda essa "expedição". A meta principal é evidenciar os contrastes existentes na cena, tanto em viés cultural, como em perspectiva social. Sim, logicamente, os entraves são muitos, a começar pelo acesso às casas de shows. Se por vezes já é inviável cobrir shows, etc, pelo preço insensato que se cobra de entrada, imagine fazer disso uma atividade semanalmente regular. O equipamento de filmagem também é um problema, mas, com criatividade, superam-se as barreiras. Como já dizia o senhor Odorico, "os finalmentes justificam os não obstantes". Vamos trabalhar no sentido de fazer desta tentativa um acontecimento.

Acreditamos que estas seriam as principais temáticas que irão compor o RP em 2011. Alertamos que, não por nossa vontade, o volume de postagens será bastante inferior se comparado com 2010, e isso não se deve por nossa escolha, mas sim pelo bom senso de prioridades. Gradativamente, as coisas voltam aos trilhos e passam a encaminhar-se de per si. Nos vemos, sempre, no decorrer desses dias. Obrigado, e sigamos em frente

Cheers!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário